Cosud SP

Home » Cosud: conectividade e rastreabilidade no Agro são temas de grupo de trabalho
Share

Cosud: conectividade e rastreabilidade no Agro são temas de grupo de trabalho

Reunião com secretários de Agricultura do Consórcio do Sul e Sudeste foi pontapé inicial para três dias de encontros na cidade de São Paulo

A 9ª edição do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud), que acontece em São Paulo até sábado (21), reuniu autoridades de sete estados brasileiros. O Grupo de Trabalho de Agricultura e Pecuária, em seu primeiro dia de encontro, deu destaque à rastreabilidade dos produtos agropecuários, à modernização da assistência ao produtor rural e sustentabilidade.

Realizado no Museu da Língua Portuguesa, o GT reuniu secretários de Estado, coordenadores e assessores técnicos para o início de uma jornada de três dias de discussões sobre politicas pública em prol do agro.

O anfitrião do evento e secretário de Agricultura e Abastecimento de SP, Guilherme Piai, deu destaque à conectividade rural. “O grande gargalo do agro brasileiro é não garantir internet ao setor que mais cresce no país”, ressalta. A SAA planeja lançar ações integradas em larga escala para levar conectividade a todas as áreas de São Paulo, em um trabalho em parceria com as companhias de telefonia.

“A conectividade é o que permite a rastreabilidade, o devido funcionamento da extensão rural modernizada, ainda mais importante, dignidade ao homem do campo”, concluiu o secretário.

Na pauta de conectividade e integração do campo, a coordenadora do Programa Rotas Rurais e pesquisadora do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA), Priscilla Fagundes, apresentou a iniciativa da SAA aos participantes do Grupo de Trabalho. Incialmente, Priscilla apresentou os grandes desafios para a área rural, entre eles, as mudanças climáticas, logística, segurança pública e acesso à saúde.

“O Rotas Rurais garante endereço à área rural. Antes disso, não havia acesso à cidadania, além de inúmeros problemas para o desenvolvimento rural sustentável” acrescentou a coordenadora do programa.

O Programa já mapeou 57 mil quilômetros de estradas rurais e colocou no mapa 291 mil propriedades rurais desde o seu início e tem efeitos positivos em diversas áreas, de acesso à saúde ao turismo rural.

Estiveram presentes na reunião cerca de 40 participantes, entre eles, o secretário de Agricultura do Espírito Santo, Enio Bergoli da Costa, o secretário em exercício de Minas Gerais, João Ricardo Albanez, do Rio de Janeiro, Flávio Campos, o secretário de Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul, Giovani Feltes, o representante da Secretaria de Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural de Santa Catarina, Jader Nones, e o coordenador da APTA, Carlos Nabil.